fbpx
Contato
Rua Tabapuã, 1123, CJ. 82
Itaim, São Paulo – SP
nutricionista@laismurta.ntr.br
11 3078-3882
11 99680-8089
Siga nas Redes

AFINAL, O QUE É INTOLERÂNCIA À HISTAMINA?

A histamina é uma amina bioativa produzida pelos granulócitos (células do sistema imunológico, tais como mastócitos e basófilos), além das células enterocromafins no intestino delgado. Dentre suas funções fisiológicas, a histamina influência na secreção gástrica, inflamação, contração da musculatura lisa, vasodilatação, produção de citocinas (mediadores inflamatórios). Além disso, a histamina é um neurotransmissor, sendo também sintetizada pelos neurônios localizados no hipotálamo.

Apesar de muitas vezes ser confundida com com um processo alérgico, a intolerância à histamina é causada por uma dificuldade do organismo em metabolizar a histamina ingerida através dos alimentos, geralmente devido à deficiência da enzima DAO (diamina oxidase), presente principalmente no intestino delgado. Acredita-se que esta deficiência possa  ser originada por condições genéticas, patológicas e farmacológicas. Por exemplo, existem evidências de mutações no gene da DAO em pacientes que apresentam doenças cardiovasculares, gastrointestinais e neurológicas. 

A deficiência de DAO também pode ser uma condição adquirida, causada por algumas patologias e interações com medicamentos. Várias doenças que afetam a integridade da mucosa intestinal podem prejudicar a atividade da DAO. Por isso, a avaliação da atividade da DAO vem sendo utilizada como um marcador da integridade da mucosa intestinal.

Alguns dos motivos pelos quais a produção da DAO é prejudicada incluem: SIBO (supercrescimento bacteriano no intestino delgado), disbiose intestinal (alteração no equilíbrio da microbiota intestinal), desordens gastrointestinais (como síndrome do intestino irritado, doenças inflamatórias), consumo excessivo de alimentos ricos em histamina, consumo de alimentos e medicações que bloqueiam a ação da DAO.

Os sintomas da intolerância à histamina são amplos e inespecíficos, sendo os mais frequentes: distensão abdominal, sensação de empachamento após refeições, diarréia, dor abdominal, obstipação, tontura, dor de cabeça, palpitações, sintomas respiratórios e dermatológicos.

Não existem testes validados para o diagnóstico da intolerância à histamina. Porém,  é possível avaliar a atividade da enzima DAO através de testes específicos. Além disso, é possível avaliar a remissão dos sintomas após 15-30 dias de dieta de eliminação (sem alimentos ricos em histamina e sem os gatilhos para sua produção pelo corpo)

Alguns alimentos ricos em histamina incluem:

  • Bebidas alcoólicas e bebidas fermentadas (Ex. vinho, cerveja)
  • alimentos fermentados como iogurte, kombucha e chucrute
  • frutas secas
  • avocado/ abacate
  • berinjela
  • espinafre
  • embutidos e carne seca
  • camarão
  • queijos maturados

Alimentos que aumentam a produção e liberação de histamina no corpo:

  • álcool
  • banana
  • tomate
  • gérmen de trigo
  • feijões
  • mamão
  • chocolate
  • frutas cítricas
  • oleaginosas, principalmente nozes e castanha de caju
  • amendoim
  • corantes e outros aditivos alimentares

Alimentos e medicamentos que bloqueiam a atividade da DAO:

  • chá preto
  • chá verde
  • álcool
  • bebidas energéticas
  • alguns tipos de antibióticos, anti hipertensivos e cloroquina

Comas-Basté, O., Sánchez-Pérez, S., Veciana-Nogués, M. T., Latorre-Moratalla, M., & Vidal-Carou, M. (2020). Histamine Intolerance: The Current State of the Art. Biomolecules, 10(8), 1181. https://doi.org/10.3390/biom10081181

Instagram