Tireoidite de Hashimoto: como minimizar os sintomas por meio da alimentação

Classificada como uma doença autoimune, a Tireoidite de Hashimoto é caracterizada pela infiltração de linfócitos na glândula da tireoide, com produção de anticorpos que atacam as enzimas que convertem T4 em T3, contra as tireoglobulinas e contra o TSH (receptor do hormônio estimulante da tireoide). O surgimento da doença está relacionado, principalmente, com fatores genéticos, estresse, exposição à radiação, metais pesados e doses altas de iodo (presente em alguns medicamentos e também no sal de cozinha).

Alimentos ultraprocessados, no geral, possuem alto teor de aditivos químicos, conservantes e corantes, são fatores de estresse para a tireoide e contribuem para a piora do quadro inflamatório. Por outro lado, certos nutrientes e compostos bioativos (como por exemplo, o zinco, o selênio e o magnésio) têm ação protetora da tireoide e são fundamentais para produção dos hormônios, bem como para a conversão em sua forma ativa.

Sendo assim, uma dieta saudável, nutricionalmente equilibrada e ao mesmo tempo, pobre em glúten e em produtos industrializados, pode minimizar os sintomas e aumentar a qualidade de vida dos indivíduos diagnosticados com Tireoidite de Hashimoto. Não se esqueça da importância do acompanhamento de um profissional: procure seu nutricionista para esclarecer as dúvidas.